​Você já quis "matar" alguém?

iStock 000001928978 Small

O veneno

A filha chegou para o pai e disse:
- Pai, não aguento mais a minha vizinha! Quero matá-la, mas tenho medo que descubram. O senhor pode me ajudar?
O pai respondeu:
- Posso sim, meu amor, mas tem um porém: Você vai ter que fazer as pazes com ela para que ninguém desconfie que foi você que a matou, quando ela morrer. Vai ter que cuidar muito bem dela, ser gentil, agradecida, paciente, carinhosa, menos egoísta, retribuir sempre, escutar mais...
- Certo... - disse a menina.
- Tá vendo este 'pozinho' aqui? Durante um mês, todos os dias, você vai colocar um pouco deste pó na comida dela. Assim, ela vai morrer aos poucos.

Passados os 30 dias, a filha voltou e disse ao pai:
- Eu não quero mais que ela morra! Eu passei a amá-la. E agora? Como faço para cortar o efeito do veneno?

O pai, então, respondeu:
- Não se preocupe! O que eu te dei foi farinha de trigo. Ela não vai morrer, pois o veneno, na verdade, estava em você!

Alimentar rancores é altamente venenoso.

Quando alimentamos rancores, morremos aos poucos. Ao decidirmos manter a raiva e o ódio dentro de nós estamos, na verdade, nos envenenando de dissabores. Quanto mais tempo cultivamos isso, mais fazemos mal a nós mesmos.

Perdoar é um ato de limpeza da alma e do corpo. Fazer as pazes com quem nos ofendeu deve ser uma rotina "detox" para seu próprio bem-estar.

Para saber se você está tratando alguém bem, basta inverter os papéis e garantir que você está lidando com as pessoas da maneira que você gostaria de ser tratado.

Use e abuse do "antídoto" chamado AMOR. Retribua, que serás retribuído. Presenteie, que serás presenteado. Reconheça para ser reconhecido.

E jogue fora todo e qualquer rancor de pessoas ou momentos ruins de sua vida. Eles só trarão mais desgraças.

Abraços sustentáveis,

MARCIO ZEPPELINI

Retribua, que serás retribuído. Presenteie, que serás presenteado.

Marcio Zeppelini